A Microsoft conseguiu incorporar redes neurais neste pequeno chip compatível com Raspberry Pi

O uso da inteligência artificial em dispositivos que estão disponíveis ao público representa um grande problema hoje: precisam de conexão à Internet quase permanente. Uma vez que a chave para o uso desses sistemas, é que o dispositivo se conecte a um hardware mais poderoso que é aquele que gere todos os pedidos, retornando assim as respostas ao dispositivo.

É através da conexão à Internet que as plataformas da Apple (Siri), da Amazon (Alexa) e da Google (Assistent), bem como outras opções que existem no mercado, funcionam. O ponto é que, se quisermos, por exemplo, que um carro tenha esses sistemas, não podemos confiar que estará disponível em todos os momentos, por isso é necessário ter plataformas de inteligência artificial diretamente nos nossos dispositivos. Isto é algo que a Microsoft está a desenvolver e parece que já temos as primeiras soluções.

 

Intelligent Edge

Segundo este novo projeto, a Microsoft procura tornar a inteligência artificial disponível para todos, até mesmo os investigadores poderão usá-lo para implementá-lo nas suas aplicações e dispositivos sem necessidade de haver conexão à Internet.

Foi assim que desenvolveram um primeiro microprocessador quase o tamanho de um grão de arroz, que pode ser programado e executado por meio de um Raspberry Pi 3 ou Zero para poder implementar sistemas de rede neural numa ampla variedade de dispositivos e locais.

Atrás deste projeto, conhecido como ‘Intelligent Edge‘, está a empresa Varma e investigadores da Microsoft em Redmond, que conseguiram comprimir redes neurais de 32 bits dentro desse chip. O objetivo é aproximar a inteligência artificial do hardware local e, portanto, reduzir a dependência de servidores grandes na cloud, o que também significa uma redução significativa no consumo de dados.

 

microprocessador

 

As primeiras tarefas que este microprocessador terá serão pequenas, uma vez que todas as informações serão recolhidos por meio de sensores externos que oferecerão os dados de localização, temperatura, voz, vídeo e outras funções que ajudarão com esta tarefa.

Deve referir-se que estamos apenas antes da primeira etapa deste desenvolvimento e ainda há um longo caminho a percorrer, mas a Microsoft quer que a comunidade de criadores comece a ver para onde os tiros vão e ajudem a acelerar o ritmo. Devido ao referido anteriormente, vários algoritmos de machine learning e formação de redes neurais foram publicados no GitHub, estes estão prontos a ser usados e são compatíveis com o Raspberry Pi.

Deixe o seu comentário...

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *